logo

Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE INTEGRAÇÃO DA AMUT SÃO CONTEMPLADOS NA 3ª FASE DO PROJETO PRATO CHEIO

12 de maio de 2021

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) lança a 3ª fase do projeto Municípios: Prato Cheio para o Desenvolvimento, 10 municípios do Estado do Pará foram selecionados, entre eles Jacareacanga e Placas que integram a região da AMUT.

A lista dos Municípios selecionados para essa etapa está no site www.pratocheio.cnm.org.br.  Os Entes convocados têm até o dia 28 de maio de 2021 para confirmar o seu cadastro e inserir a lista de famílias no sistema. Com a convocação dos Municípios para a 3º fase, a previsão é que mais de 200 mil famílias sejam beneficiadas. Caso o Município tenha sido convocado, foi enviado um e-mail à área de assistência social para necessária finalização do cadastro e confirmação da participação no projeto. Caso não identifique este e-mail, entre em contato com a CNM no número (61) 2101-6000.

O Projeto

A crise trazida pelo novo Coronavírus no Brasil tem afetado especialmente as famílias mais vulneráveis do país. Os gestores municipais têm enfrentado o duplo desafio de manter a capacidade dos serviços de saúde e também o atendimento a uma demanda crescente da população mais carente de nosso país por auxílios sociais, tendo em vista que a principal medida de contenção para a doença – o isolamento social – provoca uma brusca freada na atividade econômica e impede que essa população carente consiga obter pelo menos uma renda mínima, passando a ser dependente dos programas públicos para sobreviver.

Diante desse contexto, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) e a Associação dos Membros de Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) com o apoio do Sebrae Nacional e da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) se unem para criar a iniciativa “Municípios: Prato Cheio para o Desenvolvimento. Desta forma, estão disponibilizando recursos financeiros e humanos próprios para a aquisição de itens essenciais de alimentação, higiene e limpeza que serão distribuídos para as populações vulneráveis dos Municípios que possuem menos de 50 mil hab. e índice de desenvolvimento humano (IDH) abaixo da média nacional, de forma a atender aquelas populações carentes residentes em cidades onde a sociedade civil não possui ações assistenciais devidamente organizadas.

Fonte: Ascom AMUT com informações da CNM