logo

Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará

MUNICÍPIOS DA AMUT RECEBEM NOVOS EQUIPAMENTOS PARA AJUDAR NO COMBATE A MALÁRIA

7 de março de 2018

 

Nesta quarta-feira (7), foram entregues pelo Governo do Estado quase R$ 2 milhões em equipamentos para o combate à malária em cerimônia realizada no Palácio do Governo, em Belém. No total, 38 microscópios, 21 motocicletas e 9 caminhonetes foram entregues, pelo governador Simão Jatene, a representantes de 11 municípios beneficiados, de diferentes regiões do Pará.

O secretário de Saúde, Vitor Mateus, informou que os equipamentos recebidos vão garantir o fortalecimento da rede de serviços. “Estamos oportunizando o acesso em tempo hábil e adequado ao diagnóstico e tratamento da malária aos municípios com áreas de maior endemicidade. Dessa forma, a aplicação desse recurso deverá seguir o plano de investimento aprovado e a prestação de contas deve constar no relatório de gestão”, disse.

Os itens foram distribuídos da seguinte forma: Afuá (4 microscópios); Chaves (2 microscópios); Anajás (5 microscópios); Breves (3 microscópios e 2 motocicletas); Alenquer (2 microscópios, 2 motocicletas e 1 caminhonete); Almeirim (2 microscópios, 2 motocicletas e 1 caminhonete); Itaituba (5 microscópios, 4 motocicletas e 2 caminhonetes); Jacareacanga (2 microscópios e 2 motocicletas); Novo Progresso (2 microscópios, 3 motocicletas e 1 caminhonete); Pacajá (3 microscópios, 3 motocicletas e 1 caminhonete); São Félix do Xingu (2 microscópios, 1 motocicleta e uma caminhonete) e o Departamento de Controle de Doenças Transmissíveis por Vetores – DCDTV (6 microscópios, 2 motocicletas e 2 caminhonetes).

Combate – De acordo com o Relatório Mundial sobre Malária 2017 (World Malaria Report 2017), da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2016, houve cinco milhões de casos a mais de malária do que em 2015. Já os óbitos ocasionados pela doença giraram em torno de 445 mil, número similar ao do ano anterior. A organização atribui o agravamento da infecção ao financiamento insuficiente, tanto a nível doméstico, quanto internacional, resultando em grandes lacunas na cobertura de redes tratadas com inseticida, medicamentos e outras ferramentas que salvam vidas. A OMS ainda aponta que, em 2016, US$ 2,7 bilhões foram investidos no mundo em esforços para controle e eliminação da malária. Essa quantia está bem abaixo do investimento anual de US$ 6,5 bilhões exigidos até 2020 para atingir as metas de 2030 da estratégia global da OMS contra a malária.

Mais fotos em: http://www.amut.org.br/municipios-da-amut-recebem-novos-equipamentos-para-ajudar-no-combate-a-malaria-2/