logo

Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará

AMUT PARTICIPA DA IMERSÃO DIGITAL EM TURISMO (IDT) 

12 de novembro de 2020

A AMUT participou através da assessoria de turismo e meio ambiente, Dilce Maria Stallaiken, a Imersão Digital em Turismo (IDT), iniciativa da SETUR em parceria com a Secretaria de Cultura, Sebrae Pará, Chameleon Global e Gestour Brasil. Os encontros serão todos virtuais e visam estimular a presença do mercado turístico paraense no ambiente on-line. A programação do IDT acontecerá de 11 a 13 de novembro e todas as palestras serão transmitidas em sala no aplicativo Zoom.

A Secretaria de Turismo do Pará (Setur) criou o evento “Imersão Digital em Turismo (IDT)”. A iniciativa visa apresentar ferramentas disponíveis no ambiente digital, para que elas possam impulsionar o potencial de municípios e empresas do setor do turismo nos mercados nacional e internacional. O evento conta com seis palestras sobre marketing digital e e-commerce que começaram nesta quarta-feira (11) e prosseguem até o dia 13 de novembro, na plataforma Zoom.

Para Alessandra Pamplona, diretora de Marketing da Setur, o marketing digital é um recurso essencial para a divulgação de qualquer marca, por ser uma solução que potencializa ganhos e é relativamente barata. “Se o marketing digital já era uma possibilidade, em decorrência da pandemia de Covid-19 ele se tornou essencial. Por isso, a ideia de promover essa imersão, que tem como objetivo fomentar essa cultura na nossa cadeia turística para aproveitar essa onda e mais do que nunca efetivar nossa presença digital”, afirma.

O analista de relacionamento do Sebrae, Péricles Carvalho, e palestrante no IDT, explica que é muito importante que todas as empresas se adaptem às novas tecnologias e redes, “principalmente porque os consumidores estão buscando essas novas tecnologias”. “Para as empresas se manterem competitivas, elas têm que seguir essas tendências para que os consumidores tenham acesso. Vale ressaltar que, na maioria das vezes, essas atualizações não são um investimento muito alto”, explica Péricles Carvalho.

Péricles falará sobre e-commerce para empresas de turismo, segundo ele, o objetivo é mostrar que uma empresa do setor pode colocar o seu serviço no ambiente digital e conquistar mais clientes. “O e-commerce é para empresas de turismo também, focando na experiência que o cliente vai ter com a prestação daquele serviço. A gente precisa focar em meios diferentes do que já foi feito antes”, afirma o analista. Péricles Carvalho explica que e-commerce para turismo é fundamental para a jornada do cliente dentro da plataforma ou da empresa.

A Chameleon Global, plataforma de marketing place que visa fornecer ferramentas tecnológicas para empresas de turismo receptivo, participará do evento com profissionais do turismo que trabalham com o público brasileiro e com outros países. “Vamos explicar o que eles estão necessitando de uma empresa no Pará, que tipicamente, é o acesso ao produto. Vamos explicar detalhadamente o que os paraenses precisam para chegar no mercado paulista, carioca, americano, italiano, etc. Vai ser uma oportunidade das empresas ouvirem o que o mundo precisa saber do Pará”, afirma Joseph Walker, líder da Chameleon Global.

O tema principal da Chameleon Global no evento será sobre como expandir o negócio turístico e aumentar clientela em tempos de crise, segundo Joseph Walker, os principais pontos são: um motor de busca no website, atrair clientes e ter um API (Interface de programação de aplicações, tradução do inglês). “Se não tiver um motor de busca no seu site, se você não tem acesso a um bom marketing place, que te dá acesso a milhares de oportunidades, de operadoras, e sem um API, você não participar do turismo global”, afirma o líder da Chameleon.

Para o gerente de Marketing Brasil da Chameleon, Fredy Vilchez, no pós-pandemia a tecnologia, mais do nunca, será indispensável. “Você vai ter que oferecer seu serviço online e vai ter que, de uma maneira fácil, dar uma visibilidade (dos serviços) ao cliente/consumidor”, afirma. Ele ressalta que é muito importante a adesão de profissionais e empresas do turismo receptivo do Estado, pois será uma oportunidade de conversar e ouvir profissionais de outros países.

Alessandra Pamplona ressalta ainda que precisa ser entendimento de todos – Estado e iniciativa privada – que os negócios de turismo precisam de visibilidade. “Não estamos querendo com isso ensinar nada a ninguém, afinal cada um sabe como gerir seu negócio. O papel da Setur é apenas dar apoio à comercialização. Nesse momento, enxergamos no ambiente digital uma infinidade de possibilidades e caminhos que podem somar e multiplicar os ganhos do setor”, finaliza a diretora.

FONTE: Governo do Pará, com a colaboração Aila Beatriz Inete