logo

Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A 3ª OFICINA SOBRE AGRICULTURA FAMILIAR E ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

23 de setembro de 2021

Série de encontros tem por objetivo qualificar e ampliar o processo de aquisição de produtos da agricultura familiar para o Pnae

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) abriu as inscrições para a terceira edição da série de Oficinas Temáticas da Agricultura Familiar e Pnae, que será realizada na próxima quinta-feira, 30 de setembro, das 14h às 16h. Os encontros virtuais têm por objetivo qualificar e ampliar o processo de aquisição de gêneros alimentícios produzidos por agricultores familiares para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Ao total, serão realizadas seis oficinas, de julho a dezembro de 2021, cada uma tratando de um tema distinto, com foco nos 10 passos para a compra direta de produtos da agricultura familiar. A terceira oficina tratará do terceiro e do quarto passo desse processo: definição dos preços de aquisição e elaboração do edital de chamada pública.

Os interessados em participar podem realizar a inscrição aqui, onde também está disponível a programação do evento. As vagas são limitadas, para permitir maior interação e colaboração entre os participantes, mas o conteúdo gravado será divulgado posteriormente.

A coordenadora-geral do Pnae, Karine Santos, destaca que “a oficina é um momento importante de discussão sobre como executar a agricultura familiar, possibilitando a troca de experiências entre os participantes. Tudo com o objetivo maior de ofertar uma alimentação cada vez mais saudável aos nossos estudantes”.

Desde 2009, no mínimo 30% dos repasses do FNDE para o Pnae devem ser investidos na aquisição direta de produtos de agricultores familiares. A compra institucional da agricultura familiar é parte de um processo que reconhece a necessidade de promover a segurança alimentar e nutricional dos estudantes e de valorizar as especificidades e os hábitos alimentares locais.

Fonte: FNDE